Dívidas

No Brasil, a maioria dos cidadãos trabalhadores com carteira assinada ou autônomos tem um ou mais tipos de empréstimos. Isso é considerado como em alguns países como problema, em outros um dos melhores maneira de ter dinheiro e fazer mais dinheiro e outros uma forma para viver uma vida melhor.

Os bancos do governo e bancos privados, além de empresas e instituições de crédito oferecem empréstimo pessoal para todos os tipos de pessoas e empresas com taxas de juros acessíveis.

Bancos como a Caixa, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander e diversos bancos de segunda linhas são a grande fonte de dinheiro que oferecem tipo de empréstimos variados. Pode se dizer que no Brasil há empréstimo para todos os tipos de exigência e perfil de pessoas.

Isto levanta uma questão financeira sobre como anda o bolso das pessoas – estão com dívida ou livre de dívidas? Naturalmente, uma vida livre das dívidas soa muito bem, ter economias extras guardada em um cenário de crise como estamos realmente é melhor ainda.

Hoje a menos que você esteja com uma situação financeira bem definida, não é possível levar uma vida livre da dívida e despreocupada com finanças.

Vemos que ter uma certa quantidade de dívida é muito comum e pode até ser considerado como uma coisa boa, dependendo da circunstância, claro! Ter crédito em geral cria espaço para uma economia futura mais segura.

Naturalmente, uma vida sem dívida é uma vida livre do estresse e cansaço mental, mas se você estiver em uma fase de construção de patrimônio ou algo para a família, ter uma quantidade de dívida que seja suportável, é boa.

É óbvio que todos as pessoas inteligentes desejam uma vida livre de dívidas, rssss. Ninguém fica feliz em fazer dezenas de horas extras para ganhar alguns reais extra, comprometendo o tempo e lazer da família para ter que pagar dívida.

Incrível, mas nem todos estão aptos em se esforçar para fazer face às despesas e se livrar de passivos financeiros. Por isso, não pense que empréstimo pessoal ou imobiliário ou qualquer outro são como xícaras de chá que podemos tomar todas as tardes.

Pondere os custos de tempo e estresse mental, tudo precisa ser levados em consideração antes de se comprometer com empréstimos de longo prazo ou de valor elevado.

Por outro lado, é bom pensar positivo e considerar que não haverá problema sem que haja uma solução. Se as dividas apertarem, só é preciso ajustar pequenas mudanças no estilo de vida, cortar despesas desnecessárias e assim por diante.

Alguns dos benefícios de ter a vida livre da dívida são:

Maior controle sobre seu dinheiro

Quando uma pessoa não esta sendo controlada por obrigações financeiras e pressão constante por causa de dinheiro, ela tem maior controle sobre todas as áreas da sua vida. Haverá maiores chances de direcionar fundos de dinheiro para gerar mais receita com investimentos.

Será mais fácil manter do lado positivo todas às despesas, e ainda guardar algum dinheiro. Além disto, em caso de situações de emergência, ter dinheiro extra será a última coisa que você terá que se preocupar.

Melhora a qualidade de vida

Embora os bons e grandes momentos de stress da vida se dá por causa do cônjuge. Se por acaso haver a possibilidade de levar uma vida sem ansiedades e pressão financeira, não hesite. A vida é muito curta para ficar pensando somente em dinheiro.

Separa um tempo para viajar, conhecer o mundo, pessoas ao redor, se divertir etc. Faça o seguinte, enquanto uma parte da sua vida ganha dinheiro, deixe a outra parte livre de viver a vida livre de dívidas e stress.

Boa saúde financeira

Quando você tem uma vida livre de dívidas, pode-se dizer que você alcançou uma posição financeira sólida e equilibrada. Se todas as suas dívidas estão sendo pagas em dia, relaxe, seja feliz e descance sua cabeça.

Não se comprometa em novos empreendimentos que tragam dívidas. Mas também não vai ficar obcecado em ganhar dinheiro e esquecer de viver. Ter nenhuma dívida também irá aumentar a sua chance de aumentar sua pontuação de crédito.

Oferece segurança e tranquilidade

Às vezes temos que fazer grandes investimentos e adquirir ativos como uma casa, e se você tiver sua moradia dada como garantia de suas dívidas pode se preocupante, de qualquer forma, tente não ficar pensando em dívidas o temo todo, isso irá ajudá-lo trabalhar de forma mais descontraída.

Tente guardar algum dinheiro, não conte somente com o seguro desemprego em caso de ficar sem trabalho. Isso tornará qualquer pessoa menos desesperado por oportunidades e dará mais tempo para pesquisar e verificar as melhores opções disponível e alternativas.

Mais divertimento na vida

Aproveitar a vida sem dívidas é diferente, tente um dia viver assim. A liberdade é maior quando não há um ambiente desafiador e preocupante.

É sempre bom ter uma vida livre de dívidas, você se sente compelido em criar um estilo de vida muito mais produtivo!

Pagar dívidas de empréstimo pessoal, financiamentos ou qualquer tipo de dívidas não é uma tarefa fácil, especialmente quando os montantes devidos são substanciais. Com a crise que se instalou no nosso país em alguns setores é possível que você esteja sentindo que está se afogando em pagamentos que não acabam mais.

E… o pior, não importa o quanto você continue pagando, parece que a quantidade da dívida nunca parece ficar menor!

Pensamos nisto, resolvemos reunir 4 passos simples e bem sucedidos para com um pouco de esforço a dívida de empréstimo pessoal, cartão ou financiamentos em geral seja enfrentada.

O objetivo é que você se torne capaz de assumir o controle de seus pagamentos e começar a ver uma diferença nas suas finanças o quanto antes.

Continue lendo para ver como você pode começar esse negócio!

Passo 1 – Reunir e classificar toda dívida relevante

Reúna toda a documentação que tenha relação com suas dívidas atuais, grandes ou pequenas, não importa. Pode ser que no final você tenha um monte de papel, no entanto, vai ficar fácil centralizar a informação uma vez que você tenha tudo junto em um só lugar.

Se por acaso você tiver uma mistura de cópias digitais e impressas, considere imprimir as cópias digitais para que você não fique confuso com toda documentação. Outra alternativa, é você digitalizar todos os documentos de dividas que são impressas passando tudo para seu computador.

De qualquer forma, é melhor escolher um método e ficar com ele até o fim. Uma vez que você tenha reunido todos os documentos que você precisa, coloque numa pasta, pronto, você terminou o primeiro passo!

Passo 2 – Priorizar os pagamentos da dívida

Como você classificar através de todos os seus documentos recolhidos, começar a organizar de acordo com a taxa de juros.

Quanto maior a taxa de juros em uma conta, mais rápido você vai querer pagá-lo. Deixar dívidas de juros elevados acumular-se tornará difícil para você pagar, uma vez que o interesse vai somar rapidamente!

Você pode se concentrar em lidar com qualquer juros mais baixos dívidas mais tarde – deixando estes esperar um pouco mais para ser pago fora não vai prejudicar suas finanças tanto.

Isso não quer dizer que você vai parar de fazer pagamentos sobre as taxas de juros mais baixas. Você precisará continuar seus pagamentos em todas as suas dívidas pendentes.

Você vai ter maiores passos em direção a essas dívidas de juros mais elevados, pagando o máximo que puder sobre aqueles, mantendo pagamentos mínimos em todas as suas contas de juros mais baixas.

Se você pode balançá-lo, pagamentos semanais ou mensais irão ajudá-lo a pagar ainda mais rápido, abrandando a acumulação de juros.

Passo 3 – Descubra opções para diminuir a taxa de juros

Você pode se surpreender ao ouvir que nem todas as taxas de juros são definidas em pedra. Se você tiver qualquer dívida de cartão de crédito com altas taxas de juros, ligue para a empresa de cartão de crédito e negociar para uma menor taxa de juros.

Eles podem recusar abaixar completamente os juros em seu cartão atual, mas pode estar aberto a emitir-lhe um novo cartão com uma taxa mais baixa para que você pode transferir essa dívida.

Seja cauteloso com esta rota: A maioria de companhias do cartão de crédito carregam um contrapeso da transferência que seja no mínimo 5%. Você precisará fazer alguns cálculos para ver como esse valor adicional afetaria suas opções de pagamento.

Sua melhor opção é obter a sua dívida transferida para um cartão que oferece uma transferência de saldo zero-juros. O cartão não será livre de juros para sempre, mas há uma boa chance de que você terá pelo menos 12 meses sem juros.

É uma excelente maneira de pagar a própria dívida em si e não ficar atolado com juros acrescidos. No entanto, se você ir nesta direção, você precisará certificar-se de que você pode pagar a dívida antes do interesse do cartão entra em ação!

Cartões sem juros, muitas vezes, têm taxas de juros muito altas uma vez que o período inicial “sem juros” termina.

Passo 4 – Mantenha-se atento as finanças

A parte mais difícil de pagar a dívida é como o processo se sente sem fim. Haverá momentos em que suas bandeiras de motivação e você prefere usar esse bônus de trabalho em uma noite fora em vez de um pagamento mensal maior.

Mas não desista – você vai chegar lá eventualmente. Basta ter persistência e dedicação de sua parte. Tente algumas das idéias a seguir para ajudar a manter seus pagamentos e evitar gastos adicionais:

Pare de gastar com seus cartões de créditos:
Deixe a tentação em casa e pague apenas com dinheiro. Você vai gastar menos quando você fisicamente tem que entregar seus dólares suado!

Use rendas extras (como bônus, férias e 13°) apenas para débito:
Qualquer dinheiro adicional que você receber, como um bônus de trabalho ou trabalho freelance, deve ser usado apenas para pagamentos de sua dívida. Evite gastá-lo em qualquer outra coisa.

Se livrar das informações de cartão de crédito online:
Se você salvou suas informações de crédito com cartão em sites ou lojas on-line para facilitar suas compras, exclua-as! Isso fará com que você pense duas vezes antes de clicar no botão de compra online.